Análise de Elenco - Náutico


Dando seguimento à saga na qual desmistificamos os 20 elencos que disputarão o Brasileirão-12, viajamos a Pernambuco para analisar o time do Náutico. Desde 2009 o Estado não tinha representantes na Série-A. Curiosamente, Náutico e Sport, que foram rebaixados naquele ano, retornam juntos à elite do futebol nacional.



Em primeiro lugar, peço desculpas pela precariedade do post. Confesso, o Náutico superou o Figueirense no quesito dificuldade em buscar informações sobre o elenco. O site oficial, aparentemente, não está devidamente atualizado. Busquei alternativas, como outros sites sobre o clube e até a versátil Wikipédia. Fato é que há muitos atletas desconhecidos.

A campanha mediana no Campeonato Pernambucano, torneio no qual foi eliminado pelo vice-campeão Sport, não diz muito sobre a real força do time, que sofreu bastante com dispensas e más reposições.

Enfim, vamos logo checar o que o Timbu prepara para o Brasileirão:

GOLEIROS - Gideão, Rodrigo Carvalho e Felipe - Depois de perder Gledson, o time busca alguém para ocupar a camisa 1 com qualidade. O novo contratado para a posição é bem conhecido aqui por São Paulo. Felipe, ex-Santos, era titular do Peixe até perder a posição para Rafael. Durante uma polêmica com torcedores, foi chamado de "mão de alface". Começou bem, mas começou a falhar toscamente e naturalmente perdeu espaço. Na minha opinião, não faz jus a este apelido. Mas está longe de ser um paredão. Teve uma boa campanha no rebaixado Avaí.

ZAGUEIROS - Diego Bispo, Cesinha, Ronaldo Alves, Ronaldo Conceição, Marlon, Gustavo - Os Ronaldos chegaram do Inter. Conceição mal jogou pelo Colorado. Alves apareceu bem ao lado de Moledo mas também sofreu algumas lesões e perdeu espaço. Não são zagueiros ruins. Rebatedores, úteis. A cara do futebol nordestino, de zagueiros mais vigorosos. Marlon, ex-Flamengo, não vingou no Rio, porém, está se saindo bem na zaga do Timbu. Cesinha, ex-Santo André e Vasco, chega para dar mais força e experiência ao setor. Boa contratação.

LATERAIS - Marquinho, João Ananias, Jefferson, Wellington - Marquinho surgiu na Ponte Preta, passou pelo futebol carioca, Vasco e Fluminense, inclusive, e agora chega ao Náutico para mostrar serviço. Pouco destaque pelos clubes onde passou. Já Jefferson jogou pelo Palmeiras e foi alvo de uma chuva de críticas pelas péssimas atuações. Extremamente limitado.

VOLANTES - Auremir, Derley, Elicarlos, Lenon, Souza, Helder, Ramirez - Derley, mais uma cria do Inter, apareceu bem mas não teve muitas oportunidades em razão do elenco lá estar repleto de jogadores para o setor. Elicarlos fez boas temporadas pelo Cruzeiro, no entanto, é simplesmente regular. Não enche os olhos e, ao meu ver, não compromete. Compõe bem defensivamente e distribui com simplicidade. Souza despontou no Palmeiras e colecionou empréstimos por Ponte Preta e São Caetano. Sinceramente, não acho mal jogador. Volante voluntarioso, bom preparo físico, coopera bastante no combate na meia-cancha. Lenon, mesmo vindo do Flamengo, pouco notei seu futebol.

MEIAS - Eduardo Ramos, Ramon, Cascata, Phillip - Dois meias chamam a atenção. Eduardo Ramos, ex-Corinthians, cansou de sofrer lesões e acumular empréstimos. Jogador mediano. Contudo, fez bons jogos pelo Sport, que rendeu a transferência para o Timbu, e o rendimento continuou subindo. Bom passe, municia bem o ataque e tem boa bola parada. Ramon surgiu no Atlético Mineiro junto com Tchô, diziam ser dois meias fabulosos e promissores para o futebol brasileiro. Pois é, balela. Ramon também passou apagado pelo Timão, tentou a vida no CSKA, voltou para o Brasil, foi emprestado algumas vezes e eis que chega no Náutico. A "ciganice" faz seu desempenho ser altamente questionável. Entretanto, é inegável que trará mais-valia ao plantel do Timbu, além de habilidade e velocidade.

ATACANTES - Rodrigo Tiuí, Siloé, Rogério, Piauí, Henrique, Dorielton, Leo Santos - O ataque tem sido inconstante. Todos os nomes, para mim, são desconhecidos e de potencial altamente duvidoso. Até mesmo Rodrigo Tiuí, ex-Fluminense e Santos, que se destacou pela velocidade nunca foi lá essas coisas. O setor precisa de reforços urgentes. Sem Kieza, matador do Timbu, a equipe ainda busca uma referência.

TÉCNICO - Levi Gomes (interino) - Nesta semana, Waldemar Lemos foi dispensado. Em praticamente 11 meses no cargo, ajudou o Timbu a subir, mas não resistiu à série de 6 jogos sem vitórias. Nenhum comentário a tecer sobre o interino, ou mesmo sobre qualquer especulação em torno de substituto.

ANÁLISE GERAL - Pouco jogadores conhecidos. Os poucos jogadores conhecidos são regulares, médios. A diretoria decapitou o técnico a pouco mais de um mês do Brasileirão e terá que reformular seriamente o elenco se quiser sobreviver na principal competição nacional.

RESULTADO - Elenco pobre, limitado, sem técnico e, ao meu ver, com rumo certo: a zona da degola. Vai brigar para não cair.